Resumão do início da temporada 2015

domingo, 19 de abril de 2015

Olá amigos da velocidade, olá amigos da Fórmula Indy.

As coisas aqui no blog estão meio devagar, mas aos poucos pegaremos o ritmo. A pegada desta vez não será para ser um blog 100% informativo, será mais um blog opinativo mas, claro, tendo uma parte informativa.

Vamos ao que interessa:

A primeira etapa em St. Petersburg teve a estréia dos novos aerokits da Indy. O chassis continua o velho tradicional Dallara, mas como a empresa italiana não vive a melhor situação financeira e não tem dinheiro sobrando pra investir nas melhorias necessárias, a bucha passou para as fabricantes dos motores utilizados na Indy: Chevy e Honda.

Foto comparativa dos aerokits



Cada uma com seu estilo e onde são melhores (pelo menos essa era a idéia), a Chevy investiu em um aerokit para diminuir o arrasto aerodinâmico e ter mais velocidade nas retas. A Honda foi pelo caminho inverso, mais pressão aerodinâmica e ie melhor nas curvas dos circuitos mistos.

Na prática, a Chevy se deu melhor nos treinos qualificatórios e corridas, muito devido a ter melhores equipes em seu leque. Lembrando:

- Chevy: Penske, Ganassi, Sam Schimidt, KVSH Racing (tem as 3 melhores equipes de 2014)
- Honda: Andretti, Foyt... (Andretti longe dos melhores dias, e a Foyt como segunda melhor equipe... )

Em St. Pete, show da Penske fazendo 1-2-3-4 no Qualy e com a melhor forma do chassis (podemos dizer que já não são mais Dallara) e motor, faturou a vitória com Juan Pablo Montoya, com Will Power em segundo, continuando com o domínio da Penske frente a Ganassi no ano passado:

Montoya em St. Pete


Destaque negativo: o número de penduricalhos dos bicos de carros que caíam na pista a cada toque entre os pilotos, causando tantas bandeiras amarelas que a emissora que transmitiu a corrida mostrou até um "placar" em que a Honda ganhava de lavada da Chevy em carros com bicos trocados: 7X1 para os japoneses. Houve o registro de uma torcedora ferida por um pedaço de carenagem que voou pra arquibancada.

O borrão cinza seria a peça que voou e atingiu a torcedora.


Depois, a Indy foi para a segunda etapa em Nova Orleans. Pista nova no calendário, o misto de NOLA Motosports é um traçado interessante, com os pilotos citando a semelhança da dinâmica dela ser parecida com uma pista de kart.

Mas lembram-se que foi lá onde o Katrina destruiu tudo? Pois é, a chuva apareceu com força no fim de semana a ponto de cancelar o TL3 e até mesmo a classificação.

Chuva durante os treinos em Nola

Sorte para "Mac"Montoya que saiu na pole de acordo com o regulamento, onde nessa situacao, o grid é definido com a classificação da última corrida.

Pista com sérios problemas na drenagem da água da chuva, onde se via grandes poças de água na reta oposta mesmo mais de uma hora após a chuva ter parado.

Na última curva da pista, água empoçada junto a zebra, era certeza que teríamos várias rodadas e alguns acidentes.

Senhora panca. culpa do Hunter Reay que jogou o Pagenaud na grama molhada. 


Dito e feito, a corrida  terminou no limite de tempo de 2 horas, cerca de 40 voltas das 75 previstas foram completadas e apenas 20 e poucas com bandeira verde e um show de bandeiras amarelas com destaque para strike final entre Ryan Hunter Reay (Andretti), Simon Pagenaud (Penske) e Sebastian Bourdaaaaaus (KV Racing, piloto favorito do grande Marcos Antonio do GoGpSeries e Surto Olímpico), por total erro do piloto da Andretti.

Com um cenário tao imprevisivel, vimos uma vitória de James Hincliffe (Sam Schimidt) e com corridas de recuperação de Helio Castro Neves e Tony Kanaan (este mesmo tendo rodado após arriscar andar com pneus slicks) terminando entre os 5 primeiros.

Hinch ganhou a vitória no colo, tinha que comemorar mesmo.


Destaque negativo: preciso falar do strike que o Francesco Dracone (Dale Coyne) fez nos pits? Quem diabos deixou esse piloto assumir um cockpit, por mais que a equipe seja a Minardi da Indy... Sorte do mecanico que levou apenas 6 pontos e nao se machucou de forma pior.


Plasticamente foi feia, a ponto de não terem nem mostrado na transmissao pela TV.

Hoje acontece a terceira etapa em Long Beach, com pole de Helio Castroneves. Vejamos o que vai acontecer na Mônaco da Indy.

Até o próximo post !!!

fonte das imagens: Grande Prêmio, IndyCenterBrasil, Youtube.

Comments

3 Responses to “Resumão do início da temporada 2015”
Post a Comment | Postar comentários (Atom)

Ron Groo disse...

eu não tô acompanhando, até porque não tenho bandsports, mas pelo que tenho visto, os carros estão cada vez mais feios.

19 de abril de 2015 16:52
Ron Groo disse...

Mas já parou de novo? É motor renault?

3 de maio de 2015 12:25
Paulo Maeda disse...

hauhauhauhua Ron Groo, calma ae mano. Ainda to me organizando, a meta é fazer um post a cada 2 corridas, pelo menos melhor que um motor Renault rs

4 de maio de 2015 10:45

Postar um comentário

Gostou do Blog da Fórmula Indy?
Deixe seu comentário e ajude a incentivar a Autosfera Brasileira!
I am Indy!