Ryan Briscoe vence o GP de St. Petersburg. Tony é o melhor brasileiro e termina em 5º lugar.

segunda-feira, 6 de abril de 2009

Olá amigos da velocidade, olá amigos da Fórmula Indy.

A corrida foi movimentada como uma prova em circuito de rua só poderia ser. Logo na largada, formou-se um "Five-Wide" (5 carros lado a lado) improvável, onde o resultado só poderia ser o da confusão. O pole, Graham Rahal (Newman-Hass) largou mal e permitiu que Justin Wilson (da pequena Dale Coyne) assumisse a ponta e que Dario Franchitti (em uma Ganassi "verde" na cor, não nas intenções ambientais) assumisse a segunda posição. Rahal deu azar de receber um toque (invonluntário) de Tony Kanaan (Andretti Green) e rodar, caindo para a última posição após ter ido para o box reparar seu carro. O mesmo ocorreu com Kanaan, que precisou arrumar o bico do seu carro.

Após a bandeira amarela tivemos um bom ritmo de corrida, mas sem muitas ultrapassagens, já que o traçado de St. Pete não é dos mais favoráveis para isso. Pelo contrário, o asfalto ondulado e as pistas estreitas dificultam em muito os pilotos. Em uma dessas disputas, Danica Patrick (Andretti Green) e Raphael Mattos (Luczo Dragon) se tocaram e bateram violentamente no muro. Tudo bem com os 2 pilotos que saíram caminhando e discutindo de quem foi a culpa (dessa vez os críticos da "Mulher Maravilha" não se pronunciaram, pois foi um acidente de corrida embora no replay percebe-se que Danica tinha a preferência por estar por dentro antes da curva). O pivô de tudo isso foi o piloto Stanton Barrett (3G-Curb) que, em sua estréia na categoria, não se adaptou de forma alguma ao traçado misto, após anos na Nascar.

Em outra disputa, Vítor Meira (Foyt) errou um ponto de freada e furou o pneu traseiro esquerdo de Alex Tagliani (Conquest), que vinha em um bom 10º lugar. Meira teve que ir para o pit trocar o bico. Logo depois Mário Moraes (KV Racing) e Hideki Mutoh (Andretti Green) se estranharam na pista e quase sobrou para Justin Wilson que vinha logo atrás. O piloto inglês chegou a tocar a roda traseira no muro, mas sem maiores consquências, mas ela rendeu um momento bisonho nos pits....

Will Power (Penske), que estava em 3º errou o seu pit e parou no lugar de Scott Dixon (Ganassi) que vinha logo atrás dele. Os mecânicos da Penske tiveram que correr e puxar o carro do australiano para trás, o que prejudicou as paradas dos 2 pilotos. Dixon teria mais azar ainda depois. Em uma disputa com Mutoh, o neo-zelandês foi albarroado pelo carro do japonês, quebrando a sua suspensão dianteira esquerda e que o levou direto a proteção de pneus na curva seguinte.

A disputa pela liderança teve vários personagens, quase sempre envolvendo Ryan Briscoe, Ryan Hunter Reay e Justin Wilson, este que fez uma grande corrida após o primeiro pit, pulando da 7ª para a 3ª posição, passando por Marco Andretti (Andretti Green), Robert Doornbos (Newman Hass), o próprio Hunter Reay, Ernesto Viso (HVM) e Dan Wheldon (Panther). Antes de passar Wheldon, houve mais uma bandeira amarela, provocada por uma batida de Stanton Barret no muro. Após a bandeira verde, Briscoe e Wheldon entraram juntos no box e Wilson deu mais 2 voltas antes de parar. No maior estilo "Schumacher" ele fez seu pit e voltou a frente dos 2 pilotos.

Depois de mais 2 acidentes, com as batidas de Ed Carpenter (Vision) e Dixon, a corrida foi para o seu trecho final com Wilson na frente, seguido de Hunter-Reay, Dario Franchitti e Tony Kanaan (estes após corridas de recuperação). Mas em uma relargada, Wilson cochilou e permitiu a ultrapassagem de Briscoe e Reay, que travaram um grande duelo até a bandeira quadriculada com Briscoe faturando a corrida. Reay em segundo e Wilson terminou em uma ótima 3ª posição. Poderia ter sido melhor para o personagem da prova, mas levando em as condições oferecidas pela Dale Coyne, foi um grande feito. Franchitti foi o quarto, Kanaan o quinto e Vítor Meira ainda conseguiu uma razoável nona posição. Detalhe: Briscoe conquistou a 30ª vitória da Penske na categoria Indy (somando CART e IRL).

O próximo desafio da Indy será no dia 19/04, no GP de Long Beach, tradicional corrida de rua realizada perto de Los Angeles. Até mais.

CLASSFICICAÇÃO FINAL - GP DE ST. PETERSBURG


1º. Ryan Briscoe (AUS/Penske), 100 voltas

2º. Ryan Hunter-Reay (EUA/Vision), a 0s4619

3º. Justin Wilson (ING/Dale Coyne), a 0s9490

4º. Dario Franchitti (ESC/Ganassi), a 1s5230

5º. Tony Kanaan (BRA/Andretti Green), a 2s3214

6º. Will Power (AUS/Penske), a 3s4622

7º. Graham Rahal (EUA/Newman-Haas-Lanigan), a 4s0672

8º. Darren Manning (ING/Dreyer & Reinbold), a 4s7283

9º. Vitor Meira (BRA/Foyt), a 5s9559

10º. Alex Tagliani (CAN/Conquest), a 1 volta

11º Robert Doornbos (HOL/Newman-Haas-Lanigan), a 4 voltas

12º. Stanton Barrett (EUA/Curb-Agajanian-3G), a 4 voltas

Não completaram:

13º. Marco Andretti (EUA/Andretti Green), a 6 voltas (batida)

14º. Dan Wheldon (EUA/Panther), a 14 voltas (batida)

15º. Hideki Mutoh (JAP/Andretti Green), a 14 voltas (batida)

16º. Scott Dixon (NZL/Ganassi), a 20 voltas (batida)

17º. E.J. Viso (VEN/HVM), 25 voltas (problema mecânico)

18º. Ed Carpenter (EUA/Vision), 29 voltas (batida)

19º. Danica Patrick (EUA/Andretti Green), a 69 voltas (batida)

20º. Raphael Matos (BRA/Luczo Dragon), a 69 voltas (batida)

21º. Mario Moraes (BRA/KV), a 69 voltas (batida)

22º. Mike Conway (ING/Dreyer & Reinbold), a 99 voltas (batida)

Comments

4 Responses to “Ryan Briscoe vence o GP de St. Petersburg. Tony é o melhor brasileiro e termina em 5º lugar.”
Post a Comment | Postar comentários (Atom)

Ron Groo disse...

Eu adorei a corrida, me diverti até com o acidente entre a Danica e o brasileiro lá.
Ela foi tomar satisfações e ele ficou até envergonhado com o palavreado dela.
Mas foi acidente de corrida e tudo bem.
O fim foi emocionante naquela ultrapassagen dos Ryans sobre o Justin Tinberlake, digo, Wilson... To esperando a proxima ja.

7 de abril de 2009 15:32
GiglioF1 disse...

Paulo,

Os Brasukas se deram mal...sentimos falta do Helinho...alias até estranho o silencio do seu julgamento...
Ficamos na torcida!!

abraco!

7 de abril de 2009 16:02

Foi uma corida mais ou menos.Poderia ter sido melhor. De destaque Justin Wilson e Hunter Reay mataram a pau, eles trem que dirigir carros de ponta, eles são ótimos pilotos, mas sem patrocinadores fortes. Porque só os pilotos perebas tem um patrocinador forte?

7 de abril de 2009 19:34
Loucos por F-1 disse...

Foi uma corrida bem movimentada. Batida pra tudo quanto é lado. Pena que o Kanaan conseguei apenas o quinto lugar, quem sabe na próxima ele melhore.

Paulo, me desculpe ter sumido, mas ando meio atolado com o novo trabalho.

Abraços!

Leandro Montianele

7 de abril de 2009 21:07

Postar um comentário

Gostou do Blog da Fórmula Indy?
Deixe seu comentário e ajude a incentivar a Autosfera Brasileira!
I am Indy!