Nossos pilotos falam: Kansas Speedway

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Hélio Castroneves (2º lugar – Penske/Indy)
“Ele (Vítor Meira) tinha algum tipo de problema. De repente ele ficou lento. Não havia nada que eu poderia fazer. A Equipe Penske fez um excelente trabalho no pit para para me devolver a corrida.”

Obs: Novamente não acho mais palavras de Hélio sobre a corrida. Será que a grande repercussão do seu julgamento, está fazendo a mídia não divulgar ou não dar atenção a ele? Estas palavras encontrei no site da Penske, na página oficial dele nada sobre a prova, menos ainda nos sites esportivos...

Tony Kanaan (3º Lugar - Andretti Green/Indy)
"Como disse antes, a regularidade é realmente o mais importante. Mais uma vez, conseguimos um pódio, e estou feliz por isso, mas precisamos trabalhar bastante também para vencer as provas. A corrida foi bem dura, pois o vento era uma grande preocupação no início, mas depois da metade da prova melhorou bastante. As curvas 3 e 4 eram as mais difíceis, mas todos os pilotos respeitaram uns aos outros e não tivemos tantas bandeiras amarelas e acidentes.u e o Hélio estávamos como num jogo de xadrez, tentando adivinhar o que cada um iria fazer. Isso foi divertido. No final, fizemos uma corrida consistente, com várias ultrapassagens, bons pit-stops e, felizmente, chegamos a Indianápolis na liderança do campeonato"

Mário Moraes (11º lugar - KV Racing/Indy)
"A equipe fez um ótimo trabalho hoje. O carro estava bem configurado para a corrida, pena que perdi posições no primeiro pit que fiz, mas a equipe fez um excelente trabalho no segundo pit, impedindo que eu perdesse mais posições. Eu gostei muito da minha primeira corrida em oval da temporada e aguardo com expectativa a Indy 500 no mês que vem"

Vítor Meira (22º lugar - Foyt/Indy)
" Para mim, foi muito claro o que aconteceu (sobre o acidente com Castroneves). Na reunião dos pilotos é sempre citada a regra que, em ovais rápidos, você tem que manter a linha nas curvas. Obviamente (Hideki) Mutoh não entendeu isso e veio para baixo na curva. Ele entrou pela parte de cima e tentou usar toda a pista na minha frente. Eu tive que tirar o pé, pois o (Raphael) Matos estava na parte de cima ao meu lado. Eu não tinha para onde ir. Aí chegou (Hélio) Castroneves e me acertou, acabei rodando e batendo de traseira no muro, avariando a parte traseira do carro. Gostaria que isso fosse a 15 voltas do fim, mas não com apenas 15 voltas a partir do início".

Bia Figueredo (4º lugar - Sam Schimidt/Lights)
"Não tínhamos um carro ótimo para a corrida. Tínhamos um carro bom, mas não o suficiente para fazer a pole ou ganhar a prova. Mesmo assim, brigamos pela vitória. Agora é pensar nas próximas etapas. As condições da pista mudaram completamente de sábado para domingo. Ontem, choveu demais, o piso estava liso e, na corrida, estava ventando muito. Eu estava no vácuo do (Sebastian) Saavedra, quando perdi a traseira do carro e por pouco não bati no muro. Por conta disso, acabei perdendo duas posições"

Comments

3 Responses to “Nossos pilotos falam: Kansas Speedway”
Post a Comment | Postar comentários (Atom)

Leandrus disse...

Que calvário o do Vitor Meira hein? Começo de temporada complicada para ele, tomara que ele tenha em Indianápolis uma performance como no ano passado, quando chegou em 2º.

Ateh!

27 de abril de 2009 23:02
Felipão disse...

Que estranho esse lance do Castroneves. Talvez, ele não queira falar, pq tudo que disser será usado contra ele, hehehehe

E só falta sair uma briguinha entre ele e o Meira...

28 de abril de 2009 09:30
Ron Groo disse...

TA ai...
Ninguém falou ou deu voz a Bia Figueiredo.
Como ela está no campeonato. Este quarto lugar pelo que li de suas declarações foi muito bom...

28 de abril de 2009 20:04

Postar um comentário

Gostou do Blog da Fórmula Indy?
Deixe seu comentário e ajude a incentivar a Autosfera Brasileira!
I am Indy!